Publicações

Histórias Vermelhas de Zallar

#1 Espada que Sangra

zallar

Romance de estreia de Nuno Ferreira (Editorial Divergência, 2018), finalista do Grande Prémio Adamastor do Fantástico 2018 e 2019.

São loucos aqueles que pensam que as espadas não sangram.

Que o digam Ameril Hymadher e Lazard Ezzila, herdeiros de uma nação portentosa que se vê a braços com um descalabro militar sem paralelo. Quando os mahlan, hominídeos reptilianos que vagueiam pelos desertos, organizam uma investida que faz tremer as muralhas da Liga Parda, é a idoneidade de toda a raça humana que fica em perigo. Mas, por entre a poeira das estepes e os tiros de mosquetes, serão os movimentos subtis dos traidores a fazer sangrar as cidades? [Comprar]

Língua de Ferro: Um Sacana Qualquer

d

Romance de literatura fantástica publicado quinzenalmente na web, entre 2016 e 2017, à lei do improviso.

Leidviges “Língua de Ferro” Valentina é um dos muitos salteadores do deserto rezoli, onde em tempos ficara o Mar de Rezos. Montado no seu diabo de estimação, tornou-se lendário nos trajetos entre cidades mercantes, assolando caravanas de camelos e comboios a vapor.
Contratado para assaltar a viúva de um sacerdote na cidade de Constania, não podia suspeitar que estava a ser alvo de uma armadilha que o iria conduzir à terrível Prisão, para onde o Imperador envia todos os que o tentam enfrentar. Seguindo uma teia de segredos e conspirações relacionados com o homem que dirige os destinos do mundo, ele encontrará a verdade no terror de um velho amigo e nas profecias de uma prostituta. Nada é o que parece neste fim-de-mundo, onde uma grande batalha pode estar prestes a ser travada.

Uma aventura de “Língua de Ferro: Um Sacana Qualquer”. [Ler]

Embaixada

Romance de literatura fantástica (Editorial Divergência, 2021).

Passaram muitos anos desde que os Dominantes chegaram a Hitto, sádicos e frívolos, providos de capacidades sobre-humanas. Sem sobreaviso, expulsaram os continentais das suas casas e concederam-lhes uma vida e liberdade no litoral e nas ilhas. Mas viriam a participar na queda da monarquia absolutista e na instauração da república, quando Cellys Barbassa se envolveu numa conspiração que condenou grande parte da aristocracia de então à guilhotina. Porém, existe um segredo que os Dominantes deixaram escapar. Um segredo que poderá pôr em perigo a sua hegemonia.

Sediados na península de Lakade, os Loreli controlam o Domínio Sylar há décadas, mas esta linhagem humana pode estar à beira do colapso, quando uma primeira-dama enciumada resolve decapitar o Presidente da República, tendo apenas o seu fiel mordomo para a proteger. O Domínio não atravessa os seus melhores dias, agora que a infame Companhia Pálida foi legalizada como esquadra de corso. Entre os seus mercenários de renome destaca-se a mente retorcida de Dwight “Doninha” Dourif, que tanto poderá ser a sua salvação como a sua ruína. Cabe a Wellamy Marshmiller, o único homem que conseguiu internar-se no continente e regressar vivo, desvendar o mistério dos Dominantes através do diário de um ditador e das pistas deixadas por uma família de origens longínquas, os Vanclerc. [Comprar]

Ficção Curta

A Maldição de Odette Laurie

Sem Título

“A Maldição de Odette Laurie” é o um conto presente na antologia A Maldição de Odette Laurie (Editorial Divergência, 2017)

A Maldição de Odette Laurie, de Nuno Ferreira, conta como Odette foi expulsa da sua aldeia após ter sido acusada de bruxaria. Anos mais tarde regressa para concluir a sua maldição.

Mantobranco é como chamam hoje à localidade que outrora funcionou como posto logístico do General Leno, bem posicionado para a comunicação com os exércitos d’El-Rei a norte. Nas mãos do reverendo Jaume Vannen, o povoado ermo tenta agora resistir à maldição que, de uma forma ou de outra, vitimou toda a população. [Comprar]

Lisboa Oculta

Sem Título

A Estação de Santa Apolónia é uma das várias entradas presentes no guia turístico de ficção especulativa Lisboa Oculta (Edições Imaginauta, 2018), finalista do Grande Prémio Adamastor do Fantástico 2019 e 2020.

Já todos os turistas sabem o que devem visitar em Lisboa, mas saberão eles o que não devem visitar?

No Guia Turístico – Lisboa Oculta (publicação bi-lingue em Português e Inglês) poderás encontrar as histórias 13 atracções de Lisboetas até agora ocultas.
Jantares secretos, Institutos paranormais, estátuas falantes, sereias e sons divinos, tudo isto e muito mais nesta edição ricamente ilustrada pelos Credo Quia Absurdum.
[Comprar]

A Caveira de Deus

image.png

Um conto de horror / ficção científica publicado na Colecção Barbante, disponível exclusivamente em eventos (Edições Imaginauta, 2018), finalista do Prémio Adamastor do Fantástico 2019 em Formato Conto.

Levi é um operário fabril que esconde um grande segredo. Ele sabe onde está a caveira de Deus. Quando o revela ao seu colega Milo, este julga que o amigo está louco ou a troçar de si. Mas Levi morre e as suas palavras não lhe saem da cabeça. O que sabia afinal o velho operário?

Mais Que Fazer

almanaque steampunk

O Almanaque Steampunk 2019 foi publicado pela Editorial Divergência em colaboração com o Fórum Fantástico e a Liga Steampunk de Lisboa. O conto de Nuno Ferreira, “Mais que Fazer” foi o grande vencedor do Prémio Adamastor do Fantástico 2020 em Formato Conto.

Um desafio mas também um sonho realizado, esta obra bebe da imaginação, criatividade e curiosidade de todos os artistas que se juntaram a nós para mostrar o que é isto de Steampunk.

Assim, é no meio de vapor, revoluções incertas e histórias repletas de rodas dentadas (não esquecendo obviamente doses bem medidas de boas maneiras) que, espalhados um pouco por todo o mundo onde a língua portuguesa e um coração mecânico batem forte, convidamos-vos a juntarem a nós. [Comprar]

O Melro

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é sem-titulo-13.png

“O Melro” é um conto de terror sobrenatural que nasceu da participação do autor no It’s Alive 2020, evento organizado pela Imaginauta em abril de 2020.

Chegou o dia do lançamento da nova linha de diamantes da marca Cleópatra. Mas uma joia desaparece e ninguém sabe o que aconteceu. Quem foi o ladrão? Uma criatura perversa, capaz de furtar objectos brilhantes com o olhar. E ninguém sabe que ela está ali, do que é capaz. Ninguém está preparado para o que vai acontecer.

O Ópio do Povo

O conto “O Ópio do Povo” está incluído na colectânea Comandante Serralves (Imaginauta, 2021)

“Num futuro talvez não tão distante, num Sistema Solar bem nosso conhecido, a Humanidade uniu-se sob a bandeira da Aliança Humana: Um regime nascido no rescaldo das guerras contra os alienígenas pahoehoentes, onde a diversidade se pretende inexistente, e discrepâncias às normas estabelecidas levam a julgamentos sumários.

A esta união opõem-se os Separatistas, um grupo (semi)organizado, defensor da preservação da diversidade cultural e do livre arbítrio. Um grupo cuja maior arma é um mito de muitos rostos e muitos corpos: o eterno Comandante Serralves. Mestre em embustes e doutorado em fugas, seja nos manhosos mercados de Vénus, seja nas turbulências das Cidades Livres terrestres.” [Comprar]

Outras publicações:

Não Acordem a Cresta, Revista Bang #26, 2019

O Emergente Sr. Crook, Splaft #15, 2019

A Idade Não Conta, Revista Bang #27, 2019

Vanity vs Publishers, The Portuguese Portal of Fantasy and Science Fiction, 2020

Zallar as Worldbuilding, The Portuguese Portal of Fantasy and Science Fiction, 2020

Create your website with WordPress.com
Iniciar
%d bloggers like this: