Histórias Vermelhas de Zallar | Raças e Deuses

Imagem de capa

Raças

Humanos 

Oriundos do sul, ocuparam Gourjulea antes de ela se chamar Terra Parda e expulsaram os Homens Demónio para os desertos. Depressa espalharam-se por todos os continentes e são a raça predominante em Zallar.

Mahlan

Descendentes dos Homens Demónio que um dia dominaram Zallar, são uma raça tribal com cabeça de réptil, pernas semelhantes às de uma avestruz, torso e braços de primata e pele coberta de penas negras. Estranhamente, começaram a evoluir repentinamente e a ameaçar de forma séria as fronteiras de Terra Parda.

El’ak

Homens de pele escura com duas línguas e dois sexos iguais. Quando falam, parecem ser duas pessoas a falar. Conhecidos pela sua nobreza de carácter e orgulho, surgiram nas Terras Quentes, mas durante muito tempo tiveram um papel de destaque nas cidades portuárias das Terras Altas, até serem ameaçados por piratas. Um grupo que fugia de piratas fixou-se na costa de Terra Parda e ali fundou Torre das Harpas.

Hurkk

Os hurkk são uma raça em vias de extinção, presente em Terra Parda. Têm a pele muito pálida e asas nas costas, que os faz serem usados como emissários e voar frequentemente de terra em terra. Estão, porém, em vias de extinção.

Homens Quentes

Uma sub-categoria de humanos, chamam-se de “homens quentes” os naturais das Terras Quentes, devido à pele acobreada ou negra.

Peludos

Gigantes mitológicos com muito pêlo e quatro braços. Vários humanos dizem que já os viram, mas a maior parte das declarações são falsas, proferidas por ébrios e fanfarrões. Não obstante, todos sabem que eles habitam nas profundezas das Terras Altas.

Lemitas

Povo de pele pálida que habita nas cavernas sob o Mar Velho, os chamados Caminhos Sob o Mar.

Deuses

Deuses Brancos

A religião que se pratica em Terra Parda reverencia os deuses brancos, que se acreditam ser figuras de grande poder que, acolhidos pelo Povo das Nuvens primordial, receberam características das aves que governaram outrora o mundo de Zallar.

Aan – deus dos deuses, associado à virilidade;

Aacz (Alada) – deusa da paz;

Amável – deusa da dança;

Anor (Pescador de Homens) – protetor das famílias, das crianças e dos marinheiros;

Lavrador – deus da fertilidade, agricultura e natureza;

Misera – deusa da misericórdia;

Moama – protetor dos rochedos e das forjas;

Naanar

Shiin (Rei Caçador ou Cavalo de Aan) – patrono da velha Welçantiah; deus dos cavaleiros;

Zag

Akhamay (Deuses Negros)

Na crença terrapardiana, as gralhas-de-sangue são símbolos aziagos. Dez das entidades que outrora se tornaram deuses haviam sido corrompidos pelo mal e transformados em horríveis gralhas-de-sangue. Eles governam o Qaos, o mundo subterrâneo para onde confluem as almas torturadas. O Qaos é visto por muitos não como um inferno figurativo, mas como um local físico exato.

Dhalsi

Dhim

Magul

Meer

Moltor

Moo’ron

Moro

Mortmer

Moshin

Shogon

Deuses Macacos El’ak

São muitos os deuses macacos el’ak, versões símias de deuses de outras culturas, mas os mais conhecidos são:

Ashiam – Protetor dos doentes;

Uanill – Mãe dos deuses; deusa das mães;

Uj – Filho primogénito de Uuj;

Uuj (ou Majestade Uuj) – Pai dos deuses; deus dos pais;

Oshnik – Provedor da sobriedade de espírito.

Deuses das Terras Altas

Existem muitos deuses nas Terras Altas, de número desconhecido, a maioria deturpações do panteão terrapardiano. Os únicos referidos são:

Loya (O Leal) – deus dos deuses;

Affram – deus da fertilidade e dos alimentos.

Deuses Solares (Estelares)

As Terras Quentes reverenciam as estrelas, chamando de deuses estelares a cada uma das constelações. Associam-nos à vida prática e às ciências. São eles:

Vawsk (A Aguarela) – Patrona dos artistas;

Swk (A Lâmina) – Protetora dos guerreiros e gladiadores;

Ywk (A Escudela) – Patrono das grávidas;

Jaffaz (A Flamejante) – Deusa dos deuses e mãe dos homens;

Mhez (O Velo) – Deus dos comerciantes, associado à corrupção;

La’s Tarwk (A Pedra de Amolar) – Protetor dos guerreiros e gladiadores; amante de Swk;

Jawj (A Quadriga) – Protetor dos soldados comuns e esclavagistas;

Wal (O Berrante) – Patrono dos pastores e agricultores;

Mhezaser’s (O Dado) – Deusa da sorte e do azar; esposa de Mhez;

Twaçç (O Dedal) – Patrono das costureiras ou alfaiates.

A Deusa

Os namantisquanos reverenciam uma única deusa, ainda que não vejam os deuses pagãos como inexistentes, mas como divindades menores.

Mallaya (A Deusa) – Associada à natureza e à essência do mundo, foi violada por Khsem no início dos tempos e o universo é o fruto desse ato de estupro;

Khsem (O Saqueador) – Nome namantisquano para o “pai do mundo”, entidade odiada por todos os namantisquanos pelo ato de estupro que resultou na criação do mundo. Associado a Jaffaz e a Aan.

Create your website with WordPress.com
Iniciar
%d bloggers like this: